Fumo para cachimbo Dunhill Night Cap lata c/50gr.

Código: 1068

R$ 119,00

3x de R$ 39,67 sem juros
ou
R$107,10 no boleto

Produto indisponível
Avise-me quando chegar

0 Avaliações

Uma mistura de fumar sabor rico para a noite com o seu período de descanso e lazer.Elaborado com folhas miúdas de tabaco selvagem turco, com adição de folhas de Latakia e acrescentado com fumo Perique.

Dunhill Night Cap - Uma mistura de sabor enriquecido, adequada para as fumadas vespertinas e noturnas, para os seus momentos de relaxamento e distração. Combinação das melhores folhas do Latakia com folhas miúdas de tabaco selvagem turco, amadurecido e embalado com acréscimo de tabaco Perique, com uma alta nota aromática, para uma degustação tranquila e relaxante.

Tem sabor marcante, aroma defumado e uma queima magnífica e não se deve fumar de barriga vazia. Fumaça encorpada que te envolve e invade o nariz. NightCap aquece e acalenta o corpo.

 Uma mistura inglesa pesada, com bastante latakia e um boa dose força, como o próprio nome sugere, uma boa mistura para o final de noite.

O tabaco Latakia, fortemente aromático é atualmente muito cultivado no Oriente Médio, é empregado sempre como um fumo de adição, temperando outras misturas. Seu sabor e corpo são acentuados, uma das características da sua participação é de produzir um efeito de mistério.Um fumo bastante procurado, fazendo parte de um grande número das misturas mais fumadas hoje em dia.

O nome do tabaco vem da cidade Síria de Al-Ladhiqiyab, situada às margens do Mar Mediterrâneo em frente a parte nordeste da Ilha de Chipre, sendo um dos principais portos da região.

O latakia tem origem na Nicotiana Pérsica, a menor das plantas do gênero Nicotiana, mas deve ser deixado bem claro que nenhuma folha natural de tabaco pode ser chamada de latakia; esse nome só é adquirido após um longo processo de cura e defumação, cuja origem se perde no tempo e por isso é sujeita a ser contada como lenda e ser personagem de muitas histórias.

O processo de defumação para a produção do latakia parece ter sido descoberto por acaso, quando alguns produtores de tabaco penduraram as folhas excedentes de uma colheita no teto de suas casas, onde ficaram expostas ao calor e à fumaça das fogueiras usadas para aquecimento do ambiente. Dependendo das ervas usadas como combustível das fogueiras, o sabor peculiar do latakia era obtido com mais ou menos intensidade. Exatamente como conta a lenda da descoberta da cura ao fogo pelos nativos norte-americanos.

O latakia consumido hoje em dia é proveniente de dois locais mais ou menos distantes e que dão origem a tabacos razoavelmente distintos, mas ambos conhecidos como latakia. Esses locais são a região de Latakia na Síria e a Ilha de Chipre, embora uma pequena proporção esteja sendo cultivada na Grécia.

O tabaco Perique é um tabaco usado como tempero, com menor uso que o Latakia, porém nem por isso é menos apreciado, escuro como o tabaco sírio é produzido em uma pequena área da Louisiana, nos Estados Unidos, tem paladar de algo amargo e um forte tempero, ficando entre o figo e a ameixa.

Perique deriva do diminutivo espanhol de Pierre Clenet, francês que aperfeiçoou o manejo dos indígenas locais, que consiste em fermentar o tabaco líquido obtido de sua prensagem.

É um tabaco de alto preço, pois exige, manejo apurado e um longo tempo para ser bem preparado, é utilizado em misturas com no máximo 10% de perique, que é inebriante, quando fumado puro, é muito encorpado e tem forte aroma.

Embalagem em lata fechado hermeticamente á vácuo contendo 50 gramas, produzido na Dinamarca.