Fumo para cachimbo Dunhill London Mixture lata c/50gr.

Código: 1069

R$ 119,99

3x de R$ 40,00 sem juros
ou
R$107,99 no boleto

0 Avaliações

Elaborado com tabacos Virgínia, Latakia e orientais amadurecidos, com meio corte de sabor suave e adocicado.

Dunhill London Mixture é um exemplo da extrema habilidade na manipulação das misturas de tabaco dos mestres da Casa Dunhill. A combinação de tabacos Latakia, Virgínia e o tabaco selvagem turco escolhido dá um tom surpreendente e delicioso a essa popular mistura. Aroma suave com queima lenta e fria. Recomendado aos iniciantes por seu corte, de fácil manejo.

Uma mistura intermediária entre o Dunhill Early Morning Pipe e o Dunhill My Mixture 965, suave a saboroso.

O tabaco Latakia, fortemente aromático é atualmente muito cultivado no Oriente Médio, é empregado sempre como um fumo de adição, temperando outras misturas. Seu sabor e corpo são acentuados, uma das características da sua participação é de produzir um efeito de mistério.Um fumo bastante procurado, fazendo parte de um grande número das misturas mais fumadas hoje em dia.

O corte fino e a umidade no ponto fazem dele um tabaco que você sabe que terá bons momentos.

A qualidade vem na fumada em forma de sabor. Latakia faz base para os outros tabacos, principalmente para o Virginia, que mantém o tabaco sóbrio e levemente adocicado. Os orientais aparecem bem no fundo; até o primeiro terço do fornilho; quando então ele assume a ponta e faz com que até o fim do segundo terço com um sabor picante e encorpado, e enfim o Latakia, sempre lá; faça sua graça e dê ao fim da fumada o característico sabor e cheiro de defumado. Característica aliás muito interessante é que foi o tabaco que deixa o cheiro mais forte de Latakia no cachimbo. Transforma-o quase em um incenso.

Enfim, London Mixture é um tabaco para dias frios, talvez por esse motivo leve o nome da cidade. Ele sobressai os outros cheiros, sejam do que forem, criando um ambiente próprio em volta de quem o está consumindo. Ainda assim London Mixture seria o maestro de todos esses.

O nome do tabaco vem da cidade Síria de Al-Ladhiqiyab, situada às margens do Mar Mediterrâneo em frente a parte nordeste da Ilha de Chipre, sendo um dos principais portos da região.

O latakia tem origem na Nicotiana Pérsica, a menor das plantas do gênero Nicotiana, mas deve ser deixado bem claro que nenhuma folha natural de tabaco pode ser chamada de latakia; esse nome só é adquirido após um longo processo de cura e defumação, cuja origem se perde no tempo e por isso é sujeita a ser contada como lenda e ser personagem de muitas histórias.

O processo de defumação para a produção do latakia parece ter sido descoberto por acaso, quando alguns produtores de tabaco penduraram as folhas excedentes de uma colheita no teto de suas casas, onde ficaram expostas ao calor e à fumaça das fogueiras usadas para aquecimento do ambiente. Dependendo das ervas usadas como combustível das fogueiras, o sabor peculiar do latakia era obtido com mais ou menos intensidade. Exatamente como conta a lenda da descoberta da cura ao fogo pelos nativos norte-americanos.

O latakia consumido hoje em dia é proveniente de dois locais mais ou menos distantes e que dão origem a tabacos razoavelmente distintos, mas ambos conhecidos como latakia. Esses locais são a região de Latakia na Síria e a Ilha de Chipre, embora uma pequena proporção esteja sendo cultivada na Grécia.

Embalagem em lata fechado hermeticamente á vácuo contendo 50 gramas, produzido na Dinamarca.